sábado, 13 de março de 2010

"Não combater com armas terrestres!"


                Quantas situações nós temos passado e devido às dificuldades enfrentadas, definimos como “Combate Espiritual”? No nosso dia-a-dia, quantas vezes nos percebemos com uma grande dificuldade em resolver algum impasse, de estar em oração, de ouvir a Deus, de servir a Ele com fidelidade...

                Precisamos ter a plena consciência de uma coisa, parece banal ou exagerado dizer, mas “estamos em guerra”, o tempo todo!
               
                O Catecismo da Igreja Católica, em seu parágrafo 409 nos diz que a “situação dramática do mundo, que "inteiro está sob o poder do Maligno" 1 Jo 5,19, faz da vida do homem um combate:  uma luta árdua contra o poder das trevas perpassa a história universal da humanidade. Iniciada desde a origem do mundo e vai durar até o último dia, segundo as palavras do Senhor. Inserido nesta batalha, o homem deve lutar sempre para aderir ao bem; não consegue alcançar a unidade interior senão com grandes labutas e o auxílio da graça de Deus.”

                A nossa luta maior é conosco mesmo e por isso temos que ser “fortes e corajosos” e contar sempre com a graça de Deus, pois somos fracos de vontade e muitas vezes não damos continuidade aos propósitos que fazemos –de amar mais aos irmãos, de não julgar, de ser fiéis, de nos entregarmos completamente a Deus e assim por diante. Algumas vezes nós não conseguimos cumprir estes propósitos e a partir daí nos sentimos derrotados, fracos, tristes, por não conseguimos viver aquilo que nos comprometemos a viver. São batalhas que enfrentamos e que precisamos dar a vitória para Jesus.
               
                São Paulo nos dá a dica de como vencer estes obstáculos, basta-nos usar as armas corretas:

                "Embora sendo plenamente homem, nós não combatemos de maneira meramente humana. As armas do nosso combate não têm origem humana, mais o seu poder vem de Deus para a destruição das fortalezas". 2 Cor 10,3-4

                O poder das armas que usamos “vem de Deus” e desta forma a comunhão com Ele nos permitirá viver com intensidade todos os bons propósitos que temos feito. Se nos afastamos dessa comunhão com o Criador, se nos afastamos da oração, na Eucaristia, da confissão... saímos então como derrotados, pois passamos a acreditar que apenas por nossas forças humanas encontramos a solução para todas as coisas, nossos atos passam a seguir a pedagogia do mundo e achamos que tudo deve acontecer como nos convém. E assim abrimos mão das armas que Deus nos concede para lutarmos e o resultado é a decepção e a derrota!

                Temos então que combater com as armas certas e como diz a palavra “nós não combatemos de maneira meramente humana”, logo temos que contar com as armas que o Bom Deus nos dá! Nesse combate que vivemos, o importante é ter as armas certas e isso nós temos, pois o Senhor nos deu!

                “Eu não sou um guerreiro que combate com armas terrestres, mas com a espada do espírito que é a palavra de Deus” (Cf. Ef 6,17) - Santa Teresinha do Menino Jesus

                Vamos nos relembrar do jovem Davi em I Sm 17, 38- 51. Para o combate com o grande Golias, Davi foi revestido inicialmente de uma armadura forjada por mãos humanas - um capacete, uma couraça e uma espada - mas como ele não estava habituado a usá-la, despiu-se, tomou em suas mãos um cajado, 5 pedrinhas e uma funda. Davi já era um jovem de oração, um jovem temente a Deus e sabia em Quem estava sua força!
                Davi foi então ter com o “inimigo” que tentou intimidá-lo – o inimigo de Deus tenta fazer isso conosco o tempo todo! Quantas vezes nós estamos em oração, ou estamos a serviço e acontecem situações que tendem a nos amedrontar, nos fazer recuar - mas o destemido Davi logo respondeu em Quem estava sua força e apresentou ao inimigo suas armas! Davi que havia recolhido 5 pedrinhas, com uma única destas derrotou o gigante!

                As mesmas 5 pedrinhas que Davi usou como arma contra Golias, são as armas que também o Senhor nos deu,  e que a Santíssima Virgem nos apresentou em Medjugorje:

"Filhos queridos, vos convido à conversão individual. Este tempo é para vocês, porque o meu Filho dileto sem a vossa cooperação não pode realizar o que deseja. Filhos queridos orem a fim de que possam crescer espiritualmente e ficarem mais próximo de Deus. Entrego para vocês as 5 pedrinhas, que representam as armas contra o vosso gigante Golias com as quais poderão vencer qualquer batalha!”
- A oração com o coração: o Rosário, A Bíblia, O jejum, a confissão mensal e a Eucaristia”.

                 Todos nós, homens e mulheres, não passamos de meninos como Davi. Temos também um inimigo - este mundo, as nossas feridas interiores, os nossos ressentimentos, amarguras, falta de perdão, orgulho - mas Nossa Senhora, a vitoriosa em todas as batalhas, nos dá hoje essas cinco pedrinhas, para que lutemos e sejamos vencedores em Cristo Jesus.  
               Assim como Davi, despojou-se das armas humanas, despojemo-nos também, de nossa auto-suficiência, prepotência, superioridade... porque estas armas não nos levam a vencer o inimigo, muito pelo contrário, são armas que mais cedo ou mais tarde o próprio inimigo vem usar contra nós!            
               
                 Assumamos as poderosas armas do Céu que estão à nossa disposição. Estamos juntos nesse combate e já somos vencedores!  Que tenhamos sempre esta consciência: “Não combatemos com armas terrestres!”.

Deus o abençõe!
Unidos ao Coração de Jesus...

Abraços fraternos,
Seu irmão,

Mateus Fernandes

Disponível também em: http://www.resgatealfenas.com

Um comentário:

***Iara*** disse...

Que alegria Mateusinho ler mais um post seu, inspiração pura do Espírito Santo, santas palavras de Nosso Amado Senhor Jesus. Não podemos fechar os nossos olhos diante da batalha que ocorre continuamente dentro de nós e a nossa volta, somos pecadores desde a nossa geração, temos a tendencia ao pecado, e somente Jesus, o cordeiro imolado, pode nos purificar. Qdo ignoramos que somos tentados, deixamos de buscar as armas para essa guerra e então somos derrotados. Reconhecendo-nos pecadores e necessitados de misericórdia de Deus, seremos atentos às investidas do inimigo, e lutaremos com as armas Divinas, e mesmo que a vitória tarda, ela é certa! Afinal, a maior vitória já foi alcançada, a vitória da morte por Jesus. Como vc disse, temos de nos despir de nossas falsas armas humanas, que sao maneiras de nos afastar da verdadeira salvação. Só temos a vitória pela Cruz, fora dela só há pecado e perdição. Busquemos na Virgem Maria a humildade que rebaixa e pisa sobre aquele que foi derrubado devido ao orgulho, e em Jesus Cristo as verdadeiras maneiras de se manter firme no caminho!
Obrigada pelo seu sim continuo e sincero, por ser luz em nossos caminhos, por se permitir ser um instrumento tão fiel de Jesus.
Um bjo enorme. Saudades imensas.